Debate: AP470 entenda a inconstitucionalidade


Selo_brasil_livre

Fonte: Xeque-Mate

Sobre midiacrucis

Rompendo o apartheid-midiático. Buscando informações que o PIG omite, distorce, oculta...desinforma.
Esse post foi publicado em AP470, Brasil, Dilma, Ditadura, Eleição, Julgamento, Lula, Manipulação, Midia Venal, Política, Privataria Tucana, STF e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Debate: AP470 entenda a inconstitucionalidade

  1. Pingback: Gurgel e Joaquim uma dupla “esperta” e da pesada | Midiacrucis's Blog

  2. Partindo do princípio que suposição de crime não inibe a apresentação de provas, tanto o procurador geral da república como o ministro Joaquim Barbosa, cometeram erros crassos que foram apagados do conhecimento geral pela mídia venal, vendida ou golpista. Como ministro titular da casa civil, José Dirceu era odiado por deputados, pela mídia e por todos aqueles que sempre pretendiam extorquir vantagens de Lula, este sempre disposto em reunir forças com todos, principalmente com os mais recalcitrantes, sempre seus inimigos! Derrubaram Dirceu por completa falta de manobra política de Lula em relação a Roberto Jefferson e depois na câmara de deputados, onde lhe cassaram o mandato. Mesmo assim, os ministros do STF não poderiam ter condenado Dirceu a 10 anos de prisão como se fosse um reles criminoso, ele é um dos cidadãos brasileiros que lutou contra a ditadura militar, ajudou muito a mudar o Brasil e só não reconhece isso quem ainda está ligado pelo cordão umbilical à direita fedorenta que ainda teima em existir neste País.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s