Receita inicia cobrança de R$ 86 bilhões de dívidas vencidas


SIGILO ROMPIDO EM NY: US$ DO BANESTADO NO ISRAELI BANK 26/11/2010

Globo deve R$2bi em impostos e ainda recebe publicidade federal, por que?

Valor dos débitos cobrados supera R$ 86 bilhões

A Receita Federal inicia procedimentos de exclusão em lote das empresas devedoras do Simples Nacional, a cobrança das pessoas físicas e jurídicas que se encontram inadimplentes com parcelas do parcelamento da Lei nº 11.941/2009 e institui procedimento especial para cobrança de grandes devedores

Exclusão do Simples Nacional

A partir de hoje, 17, começam a ser emitidos Atos Declaratórios Executivos (ADE) de Exclusão do regime do Simples Nacional para as 441.149 empresas optantes que se encontram inadimplentes com relação aos tributos administrados pela RFB e pela Procuradoria da Fazenda Nacional (PFN). O valor total dos débitos atinge o montante de R$ 38,7 bilhões.

O contribuinte em débito terá 30 dias para regularizar suas pendências e para isso poderá gerar a guia para pagamento à vista ou solicitar o parcelamento, diretamente no Portal do e-CAC, no sítio da RFB na internet (www.receita.fazenda.gov.br), onde constam todas as instruções para a regularização da dívida.

A não regularização dos débitos implicará a exclusão automática da pessoa jurídica do Simples Nacional a partir de 1º de janeiro de 2013.

Cobrança dos Inadimplentes da Lei nº 11.941/2009

Foi iniciado processo de cobrança de 100.424 contribuintes, pessoas física e jurídica, inadimplentes com pelo menos uma parcela de qualquer modalidade do parcelamento da Lei n º 11.941/2009. O valor dos débitos em atraso totaliza R$ 5,3 bilhões.

Foram emitidas cartas, via Correios e caixa postal eletrônica no Portal e-CAC, para todos os contribuintes inadimplentes, alertando para a situação e orientando como devem proceder para se regularizar.

Essa é a oportunidade para que esses contribuintes possam evitar a exclusão do parcelamento e o consequente prosseguimento da cobrança da dívida com a exclusão de todos os benefícios concedidos pela Lei.

O contribuinte inadimplente para se regularizar poderá gerar a guia para pagamento diretamente no Portal do e-CAC, no sítio da RFB na internet (www.receita.fazenda.gov.br), onde constam todas as instruções para a regularização da dívida.

Cobrança Especial de Grandes Devedores

A partir desse mês inicia-se um programa especial, de âmbito nacional, que visa a intensificar a cobrança dos maiores devedores da RFB. Para isso serão utilizadas ferramentas que permitem uma análise mais minuciosa do perfil de cada contribuinte e uma comunicação mais direta e personalizada com os responsáveis pelos débitos, além da utilização de instrumentos coercitivos previstos na legislação para a recuperação do crédito tributário. Nessa primeira fase serão cobrados 317 contribuintes com débito total de R$ 42 bilhões.

Fonte: Receita Federal

Sobre midiacrucis

Rompendo o apartheid-midiático. Buscando informações que o PIG omite, distorce, oculta...desinforma.
Esse post foi publicado em Bankgangster, Brasil, Cidadania, Comunicação, Dilma, Economia, Manipulação, PIG, Política, Soberania e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Receita inicia cobrança de R$ 86 bilhões de dívidas vencidas

  1. Regina Maria disse:

    No twitter fiz um breve comentário a respeito do pagto ou não pela Globo. Então vamos lá, repetir e complementar como se passa a questão. Tudo indica que ela foi autuada recentemente. Uma vez autuada ela pode apresentar sua contestação aos valores apurados no prazo de 30 dias. Apresentada a defesa, essa é encaminhada ao órgão julgador, isto é, à Delegacia da Receita Federal do Brasil de Julgamento. Nesse órgão, que é um colegiado de auditores fiscais, será apreciadaa impugnação. Dificilmente isso ocorrerá em menos de um ano (otimista) embora haja uma prioridade para os valores maiores. Se a impugnação for julgada improcedente, isto é, desfavorável ao contribuinte, ele ainda poderá recorrer a uma 2ª instância, o CARF (CONSELHO ADMINISTRATIVO DE RECURSOS FISCAIS).
    Isso tudo não se constitui em um privilégio, mas sim o amplo direito de defesa conforme previsto na Constituição Federal. Enquanto não esgotar a via administrativa o contribuinte não está impedido de nada e não poderá ser cobrado. O débito fica suspenso. O contribuinte só será considerado em mora após o “trânsito em julgado na via administrativa.” Lembrando que ele poderá socorrer-se tb. do judiciário, porém não concomitantemente.
    Por outro lado faço votos que essa empreitada de cobrança seja vitoriosa. Conheço o sub-secretário acima e é uma pessoa extremamente competente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s