A Cavalhada das Mulheres


As duas senhoras devotas de Santos Infinitos, tricotavam palavras curtas entre varandas rodeadas de plantas. Caia a tarde vista desde o terraço do modesto edifício da grande cidade.

Dica de @BetoMafra

Leia também:
 
O cenário urbano era ainda de aspectos malévolo e cotidiano, até que surpreendedora e ruidosa irrompeu às ruas a Cavalhada das Mulheres. Em dias de lua cheia, o ritual de luta em tempos nebulosos cutucava como boneco-vudu os conformados habitantes.
– Oh! Chegaram as baderneiras! Impõem à vista de todos esses fatos que nem ao menos vimos na televisão. Pensam ser Deus?
E no decorrer do tempo lunar, as mulheres desfilam a cavalo, sustentam bandeiras com imagens e escritos de uma atroz realidade. Cavalgavam informações pesadas como um insustentável gelado corpo pós-morte!
– Úteros arrancados, perdidos em lixos clandestinos!
O cortejo de clamor à consciência coletiva entoava ladainhas, cantos e rogatórias em convocação geral de todas as mulheres da cidade. Contudo, com Corpos modificados e máscaras de maquiagem impecáveis aos mandos sociais, algumas mulheres espantadas e desesperadas buscavam proteção no shopping mais próximo. Enquanto isso, passava a cavalhada…
Rumo à Igreja Senhor Salvador, a Cavalhada das Mulheres dedicaria cantigas à liberdade dos seus Corpos e vidas. Sorrateiros, os padres bisbilhotavam o rito desde as gretas da porta sagrada, acostumados aos movimentos às escondidas.
Passados os dias de lua de cheia, as mulheres pisariam as agitadas avenidas com suas vestimentas de simples mortais. Caminharam como um ponto a mais na multidão!
Cientes que outras cavalhadas virão, as mulheres guerreiras teriam a lua cheia sempre como relógio disparador das nobres trotadas. E o ritual de ritmo lunar abalaria as portas da igreja, até essas estruturas abrirem seus espaços e declararem apoio aos Direitos de Ser de Todas as Mulheres. E, breve, retornaria a Cavalhada das Mulheres…
Maíra Vasconcelos é jornalista e mora em Buenos Aires. Conta sobre o país dos hermanos em @jornaliskra e expõe sua necessidade de escrever no jornaliskra.blogspot.com 
Anúncios

Sobre midiacrucis

Rompendo o apartheid-midiático. Buscando informações que o PIG omite, distorce, oculta...desinforma.
Esse post foi publicado em Brasil, Política, Saúde, Soberania e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s