A Praga do Jabá por Sergio Ricardo


O vírus desta praga começou na era dos Disque Jóqueis no longínquo passado das emissoras de rádio, onde o produtor dos programas das paradas de sucesso recebia das gravadoras multi nacionais um “presentinho” para executar determinadas gravações, e passavam por cima dos lançamentos de outros artistas, manipulando o sucesso. O vírus desenvolveu-se a tal ponto, que foi incorporado pelos donos das emissoras em seu faturamento , e uma tabela de preços oficializa abertamente o jabá, cobrado mecanicamente, com direito até, a nota fiscal. Hoje, tanto no rádio, como na TV.

No passado, a Rádio Nacional, e outras rádios do pais, investiam nos artistas da música, (músicos, maestros, arranjadores, cantores etc) com contratos em escala compatível com o parâmetro de escolha advinda da aceitação popular e da opinião da crítica. O respeito à música como matéria prima de sua audiência, favorecia a sustentação de sua programação, atraindo o volume de anúncios de propaganda de produtos, e com isso o metabolismo da cultura musical brasileira, ia muito bem, obrigado. Seu elo unificante permanecia inalterado. Enrijecia-se assim a corrente de nossa evolução musical. Como o veículo era dirigido ao ouvido do cidadão, e a melhor coisa a ser oferecida aos “caros ouvintes” era a música, nada mais justo que fosse remunerada. Nada mais natural. Com o advento da praga, hoje se paga por isto.

Leia mais

Anúncios

Sobre midiacrucis

Rompendo o apartheid-midiático. Buscando informações que o PIG omite, distorce, oculta...desinforma.
Esse post foi publicado em Brasil, Política, Soberania e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s